O maior exemplo que você pode ter

O maior exemplo que você pode ter

Certa vez, eu participei de uma palestra motivacional e, no decorrer dela, uma dinâmica foi realizada – entre as muitas que foram naquele dia – para que possamos questionar e refletir as nossas ações e o quão acreditamos no nosso potencial.

Ela começou mais ou menos assim: todos nós recebemos um objeto de plástico. Ele era circular, simples, sem muito acabamento. Era dividido ao meio e tinha um pequeno suporte para que pudéssemos abri-lo ao meio.

Contudo, a ordem naquele momento era para que nós apenas o segurasse, em nossa frente e na altura dos nossos olhos, como se estivéssemos segurando tudo de mais precioso que há nesse mundo, uma pedra muito rara e preciosa.

Enquanto isso, o palestrante começou a falar.

Em suas mãos, está o seu maior tesouro. Sem o que está dentro deste pequeno objeto de plástico tão simples, tão frágil, tão insignificante, você não passaria de um simples corpo, sem alma, sem propósito, sem objetivos nessa vida. Imagine, ele disse.

A palestra era motivacional e para vendedores. Sendo assim, eu imaginava um cheque em branco, uma nota de cem, uma aliança, ou qualquer coisa que pudesse me dar muito poder e coubesse naquela caixinha redonda.

E o palestrante continuou.

Nessa pequena caixinha, você encontrará o maior exemplo que você poderá encontrar na vida. Talvez, não hoje. Talvez, hoje você o julgue, me questione e até me diga que ele não é, definitivamente, o melhor exemplo para você.

Porém, não é o que ele é que tem importância aqui. É o que ele é capaz de ser. Esse é o maior poder presente nessa caixinha, e que faz de você hoje a pessoa mais poderosa desse mundo, e maior do que qualquer problema ou obstáculo já visto.

Eu estava sacando. Naquela hora, minha mente já imaginava uma foto dentro da caixinha. A foto de um grande empreendedor, mestre, profeta, e que ao abrirmos, o palestrante falaria sobre seus feitos e como eles poderiam nos ajudar a conquistar o sucesso.

Preparados? Ele disse. Abram a caixinha, ordenou.

Ao apertar aquele pequeno suporte e abrir definitivamente a caixinha, o silêncio tomou conta do que antes era apenas sussurros, cochichos e burburinhos. Eu tive uma grande surpresa, e não posso deixar de confessar a emoção. Era um espelho.

Antes que qualquer um pudesse tirar conclusões daquela simples dinâmica, o palestrante pediu para que continuássemos a segurar a caixinha na mesma posição, agora aberta, enquanto ele dizia algumas palavras.

Nós buscamos força em tantas coisas nessa vida.

Muitas vezes, buscamos no dinheiro, e nos deparamos com o que ele não pode comprar. Nos bens materiais e nas conquistas, e entendemos que elas são válidas apenas para nós. Nas pessoas, e elas, por alguma razão, nos traem ou nos esquecem.

Quando, na verdade, o que temos de mais precioso está em nós. A força, a esperança, a fé, o amor e tudo que precisamos para vencer, superar ou driblar um problema, desafio ou obstáculo presente em nossa vida.

Nossas ações são as responsáveis por tudo isso, e não há melhor exemplo do que o próprio eu, refletido no espelho, para lhe dizer isso. Portanto, se algum dia uma dúvida rondar a sua cabeça, e você quiser encontrar forças;

Abram essa caixinha novamente.

ℹ Este artigo faz parte da coluna semanal “Domingando” do meu blog. Todos os domingos, eu trarei um artigo para que possamos refletir a nossa vida, os nossos desafios, os nossos obstáculos, e encontrar forças para seguir em frente.

Gostou?

👍🏼 Antes de sair, não esqueça de deixar seu like

💬 Fique à vontade para comentar a sua opinião

🚀 Ah, compartilhe com os seus amigos!

Para receber os novos artigos, basta me seguir no Linkedin, no Medium, acompanhar ou acompanhar o meu blog, assinando a news via 🔔 notificação ou ✉ email.

Até a próxima! 🙂


Guilherme Bogo Vinci

Mercadólogo e publicitário dedicado. Professor e palestrante apaixonado. Escritor motivado. Investidor curioso. Ciclista todo dia. Empreendendo e aprendendo. Ensinando e ajudando quem deseja empreender. Essa é a minha vida.

Não vá sem deixar o seu comentário ;)

Deixe uma resposta